GESTÃO DE PROJETOS NO MUNDO PÓS PANDEMIA

 

“A única coisa que sabemos sobre o futuro é que ele será diferente, portanto, a melhor maneira de predizer o futuro é criá-lo. O planejamento de longo prazo não lida com decisões futuras, mas com o futuro de decisões presentes.” -Peter Drucker-

 

Por José Mário Orlandi

chess_01.png

#josemarioorlandi

#mercadologicacm

 

 

Publicado em 05 de março 2021 

Marcas de tempo
A sociedade usa marcadores de tempo para definir uma era: 31/12/1999, 23h59m59s, virou o século, tudo mudou. Mas não é assim que funciona. Na verdade, é a experiência humana que constrói o tempo. Para o historiador britânico Eric Hobsbawm, o extenso século 19 só terminou depois da Primeira Guerra Mundial [1914-1918], com todas as mortes e a experiência do luto, com a inédita a capacidade destrutiva e os avanços tecnológicos. Para muitos pensadores em nosso tempo, faltava um símbolo para marcar o fim do século 20.
A Covid-19 mudou para sempre nossas vidas, nosso trabalho, nossas rotinas e nossos negócios. Vários futurólogos argumentam que a Pandemia atuou como um acelerador de mudanças. Na economia, o trabalho de recuperação e reestruturação dos negócios exigirão uma nova abordagem no planejamento e execução de nossos negócios. 

Tempo de mudanças
O termo “novo normal” vem sendo usado para definir uma nova cultura que se desenha para o cenário pós-pandemia. Nessa nova realidade, o brasileiro não pode mais ser reconhecido mundialmente por sua capacidade de execução, mas com a fama de pouco empenho em planejamento. Agora não há escapatória, temos de rever conceitos, nos capacitar e aceitar os benefícios da gestão por Projetos, desde a melhor alocação de recursos, até o controle dos prazos, dos custos e da qualidade, considerando sempre a gestão de todas as partes interessadas (stakeholders).

Características do cenário pós-pandemia e o novo “normal”
• Despertar do trabalho e da educação remota
• Flexibilização das relações de trabalho
• Exigência de eficiência, agilidade e eficiência
• Aumento da credibilidade da ciência
• A aceleração da cultura analítica para coletar, qualificar, organizar e interpretar dados.
• A importância das competências pessoais e do trabalho em equipe.